The Shining

Sequela de ‘The Shining’ vai ser realizada por Mike Flanagan

Em 2013, Stephen King lançou ‘Doctor Sleep’, livro que serve de sequela para ‘The Shining’, obra que deu origem ao clássico de terror homónimo realizado por Stanley Kubrick e protagonizado por Jack Nicholson. Agora, segundo o The Hollywood Reporter, a Warner Bros. acaba de recrutar Mike Flanagan para realizar a sequela de The Shining (1980), cujo título se mantém fiel ao recente livro de King. Este será o regresso de Flanagan ao mundo do escritor norte-americano, depois de ter realizado a adaptação de Gerald’s Game (2017) para a Netflix.

Doctor Sleep segue as pisadas de Danny Torrance, o filho da personagem de Nicholson no filme original, agora adulto. Este batalha contra o alcoolismo e a depressão, conforme os traumas do passado se fazem sentir. Porém, a sua vida muda quando este conhece uma rapariga que necessita da sua ajuda, tarefa na qual vai ter oportunidade de usar os poderes psíquicos que descobriu ter no primeiro filme.

Para além de ter realizado Gerald’s Game, Flanagan é um cineasta bastante respeitado dentro do género de terror, tendo já realizado filmes como Absentia (2011), Oculus (2013), Hush (2016) Before I Wake (2016) e Ouija: Origin of Evil (2016).

Publicado em 1977, ‘The Shining’ serviu de inspiração para a conceção, pelas mãos de Kubrick, daquele que é considerado por muitos um dos melhores filmes de terror de sempre. O filme conta a história de Jack Torrance, interpretado por Nicholson, um escritor que aceita mudar-se para um hotel vazio durante o inverno para cuidar do local e, assim, ter tempo para pôr a sua escrita em dia. Consigo, leva a sua família. Algo de muito perturbador se segue.

Doctor Sleep, que ainda não tem data de estreia, nem protagonista, configura-se como a próxima tentativa da Warner Bros. de lucrar com a inspiração de Stephen King, após a adaptação de ‘It’ no ano passado que rendeu, até agora, cerca de 700 milhões de dólares e já tem uma sequela confirmada para o verão de 2019.

Partilhar