Kumail Nanjiani ; Mark Ruffalo

Mark Ruffalo e Kumail Nanjiani vão protagonizar ‘The True American’

O ator paquistanês Kumail Nanjiani deu-se a conhecer ao grande público na série de comédia da HBO Silicon Valley, onde interpreta um programador que integra um grupo de nerds que tentam criar a sua própria empresa, a Pied Piper. A essa aventura, que segue para a quinta temporada, juntou-se o filme baseado nas suas experiências pessoais, The Big Sick (2017), escrito e protagonizado por si. Agora, segundo o The Tracking Board, Nanjiani prepara-se para demonstrar o seu lado dramático em The True American, realizado por Pablo Larraín. Ao seu lado vai estar também Mark Ruffalo.

O filme, baseado no livro ‘The True American: Murder and Mercy in Texas’, conta a história de Raisuddin Bhuiyan, que será interpretado por Nanjiani, um imigrante muçulmano e veterano da Força Aérea do Bangladesh que sobreviveu a uma série de assassinatos contra muçulmanos, em pleno Texas, após o 11 de Setembro, levados a cabo por Mark Stroman, que será encarnado por Ruffalo. Depois de perder a visão num dos olhos, Bhuiyan recorreu a todos os meios possíveis para que a sentença de morte atribuída ao seu atacante, conhecido como “Arab Slayer”, fosse revogada. Segundo este, “no Islão diz-se que ao salvar uma vida humana, se salva toda a humanidade”. Entre outras coisas, Bhuiyan, que trabalhava numa loja na área de Dallas e estudava engenharia informática, fundou o movimento World Without Hate e colaborou com a Amnistia Internacional.

Kumail Nanjiani

Originalmente, o filme seria realizado por Kathryn Bigelow e teria como protagonistas Tom Hardy e Riz Ahmed. No entanto, esses planos foram cancelados, apesar de Bigelow continuar como produtora do projeto.

Quando, em 2016, Pablo Larraín fez a sua estreia num filme de língua inglesa com Jackie, muitos se perguntaram o que poderia um realizador chileno adicionar a um tema tão enraizado na política e História norte-americanas. Porém, o resultado da sua colaboração com Natalie Portman foi fascinante e considerado por muitos um dos filmes biográficos mais bem conseguidos dos últimos anos. Além disso, o seu também recente Neruda (2016) foi igualmente aclamado pela lufada de ar fresco que trouxe ao estilo biográfico. Em acrescento, a sua sátira política No já havia sido nomeada para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2012.

As filmagens ainda não têm data para começar.

Partilhar