Dune

‘Dune’, a nova faca de dois gumes de Villeneuve

É inegável o caminho que Denis Villeneuve tem vindo a traçar no campo da ficção científica e Arrival (2015) e Blade Runner 2049 (2017) são a prova da excelência do realizador. O cineasta franco-canadiano tem agora em mãos um clássico de Frank Herbert que, há mais de 50 anos, espera por alguém que consiga transladar as suas páginas para o grande ecrã com sucesso. Pois este é um projeto que já muita dor de cabeça deu aos mestres da sétima arte.

Best-seller de 1965, ‘Dune’ também esteve nas mãos de Alejandro Jodorowsky para ser adaptado para cinema, mas não viu a luz do dia. Chegou ainda a David Lynch – que conseguiu finalizá-lo e estreá-lo em 1984 -, mas, o que poderia ser mais um sonho do realizador norte-americano, virou pesadelo: a produção do filme “deu cabo” da visão lynchiana e este não foi bem aceite pela crítica.

Villeneuve, em declarações à Yahoo Entertainment, em 2017, afirmou: “Lynch fez uma adaptação nos anos 80 que tem algumas qualidades muito fortes. Quero dizer, David Lynch é um dos melhores cineastas vivos, tenho grande respeito por ele. Quando vi a sua adaptação, fiquei impressionado, mas não foi o que eu sonhei, então estou a tentar fazer a adaptação dos meus sonhos. Não terá qualquer ligação com o filme dele. Estou mais voltado para o livro e para as imagens que imaginei quando o li”.

‘Dune’ é considerado o livro de ficção científica mais vendido de todos os tempos e teve direito a cinco continuações, todas elas recheadas de paradoxos filosóficos, religiosos e psicológicos. Para já, “Dune terá dois filmes”, confirmou o realizador, ambos baseados no primeiro livro.

As mais de 400 páginas têm lugar num futuro distante e contam-nos a história de famílias em guerra que detêm planetas individuais. Paul Atreides, que será interpretado por Timothée Chalamet, é o protagonista do romance. A sua família é detentora de um planeta deserto, apelidado de Arrakis, que alberga uma droga valiosa chamada “spice”. Esta é a mercadoria mais procurada do universo, pois expande as habilidades mentais, o que torna Atreides o alvo das famílias em guerra, mas principalmente da sua família rival: a Harkonnen.

Para além de Chalamet – que já confessou ter desde sempre “o sonho de protagonizar um grande filme” -, o projeto vai contar com Rebecca Ferguson no papel de Lady Jessica – a mãe de Paul Atreides –, Stellan Skarsgård como principal antagonista, o Barão Vladimir Harkonnen, e Dave Bautista interpretará Rabban, o sádico sobrinho do Barão. Já Oscar Isaac será o pai de Paul Atreides, Zendaya irá ser Chani – a esposa de Paul – e Javier Bardem aparecerá como Stilgar – o líder de uma comunidade secreta do planeta Arrakis.

Nos bastidores, por outro lado, Villeneuve terá a seu lado caras familiares.

O cineasta dividirá a assinatura do guião com Eric Roth, responsável por clássicos como Forrest Gump (1994) e The Curious Case of Benjamin Button (2008), e Jon Spaihts, que assinou o guião de Prometheus (2012) e Doctor Strange (2016). Já a edição vai estar a cargo de Joe Walker, com quem Villeneuve já trabalhou em Sicario (2014), Arrival e Blade Runner 2049, e que já confessou que permanecerá longe do livro e do filme de Lynch. “Eu quero estar fresco. É bom para mim estar afastado e só ler o argumento quando estiver pronto e quando chegar a mim. Eu não quero sobrecarregar-me muito com o filme antigo e ler o livro. Eu só quero ver qual é a visão de Villeneuve”, afirmou, em declarações à revista Collider.

Contudo, não só de “velhos conhecidos” vai estar constituída a equipa. Roger Deakins, aclamado diretor de fotografia com quem o cineasta já havia trabalhado e conquistado tanto o público como a crítica – com várias nomeações para os Óscares – não estará, desta vez, nos bastidores. Greig Fraser vai ocupar o lugar e, pelo seu currículo, Dune não estará mal entregue, já que este foi nomeado para o Óscar de Melhor Fotografia por Lion (2016) e possui ainda créditos honráveis como Zero Dark Thirty (2012), Foxcatcher (2014), Rogue One (2016) e o recente filme de Adam McKay, Vice (2018). É ainda um dos responsáveis pela fotografia de The Mandalorian, a série da saga Star Wars que está a ser produzida por Jon Favreau.

A obra épica de Frank Herbert tem tido dificuldade em transportar-se das páginas para o ecrã e, por isso mesmo, o que Denis Villeneuve tem em mãos é uma faca de dois gumes: ou a obra aclama definitivamente o realizador como um mestre da ficção científica ou deixa pelo caminho mais uma vítima.

Tudo aponta para que o primeiro filme estreie em 2020, mas ainda não existe confirmação oficial.

Partilhar